Dieta low carb sem acompanhamento especializado pode resultar no ganho de peso e problemas de saúde com sintomas físicos e mentais

A dieta low carb é baseada na redução da ingestão de carboidratos, mas apesar de estar na moda, o Ministério da Saúde alerta para os riscos das dietas restritivas sem acompanhamento e prescrição especializados.

Fora os riscos da redução do consumo de carboidratos para emagrecer, um problema adicional é que muitas pessoas recorrem à dieta low carb sem nenhum acompanhamento especializado e reduzem significativamente a ingestão desse macronutriente.

A seguir conheça os riscos e prejuízos da dieta low carb e como emagrecer com mais saúde e consistência.

8 problemas da dieta low carb

Na dieta low carb a ingestão de carboidratos é reduzida de forma que opções com farinha branca, arroz, macarrão, batatas e outros são ingeridos de forma mais racional.

Mesmo quando realizada corretamente, a dieta com restrição de carboidrato pode ser prejudicial quando não for acompanhada por um especialista que antes de prescrever as mudanças alimentares vai verificar se essa abordagem é a mais adequada à perda de peso do paciente. 

Conheça a seguir alguns problemas decorrentes da dieta low carb, especialmente quando o acompanhamento não é feito por um nutrólogo

Perda de massa magra

É muito comum que na estratégia de emagrecimento sem acompanhamento especializado, a pessoa acabe por perder massa magra, fundamental à saúde.

Quando a ingestão de carboidratos não é suficiente, o organismo redireciona as proteínas ingeridas para produção de energia, deixando os músculos sem nutrientes.

Aumento da gordura corporal

Um dos principais problemas da dieta low carb é que, em muitos casos, os esforços são perdidos e há um aumento da gordura corporal.

Durante a dieta, o organismo identifica que há menos energia disponível e sempre que possível faz uma reserva para o caso de falta de nutrientes.

Também é comum um ganho de peso subsequente, o que ocorre devido à dificuldade de manutenção dessa dieta e conforme os hábitos anteriores são retomados, o organismo também atua ativamente para aumentar as reservas energéticas em forma de gordura.

Déficit nutricional

A privação de um grupo nutricional como os carboidratos ou mesmo uma redução brusca da ingestão pode desencadear uma carência nutricional.

Em geral, a alimentação torna-se insuficiente para as demandas básicas do organismo resultando em déficit de ferro, cálcio e proteínas, podendo causar anemias e outros problemas. 

Sensação de cansaço

mulher cansadaUma mudança alimentar brusca e significativa pode causar um descompasso no funcionamento geral do organismo que leva a sintomas físicos como sensação de cansaço, queda na energia e no rendimento ao desenvolver as atividades cotidianas e baixa imunidade.

Irritabilidade

É comum que a dieta low carb e outras com privação de macronutrientes apresentem outros sintomas como irritabilidade, que pode ou não ser associada à fome, fadiga mental e dificuldade de concentração e memorização.

Desregulação do organismo

É comum que ao reduzir significativamente a ingestão de carboidratos, seja feita a compensação com o consumo aumentado de proteínas.

Dessa forma, são sintomas associados a sobrecarga renal e a desregulação do organismo.

Em alguns casos, a restrição alimentar pode levar a casos de cetoacidose, caracterizada pela hiperglicemia (aumento da taxa de glicose no sangue), que pode causar sintomas como náuseas, vômitos, desmaios e dificuldade respiratória.

Manutenção 

Quando prescrita por um especialista, a dieta low carb é vista como uma estratégia pontual no plano geral de emagrecimento e tem duração entre 4 e 8 semanas, a depender do caso.

Quando realizada sem acompanhamento é comum que a dieta seja difícil de manter de forma que a pessoa extrapole alguns dias e depois tente retomar, entrando em um ciclo que costuma ser prejudicial à saúde e ao objetivo proposto.

Nesses casos, é comum que a dieta, mantida incorretamente, tenha duração superior às 8 semanas indicadas.

Não consolidação de bons hábitos alimentares

O emagrecimento saudável tem mais relação com mudança de hábitos no longo prazo do que com a adoção de dietas restritivas, como a low carb, para resultados imediatos.

Nesse sentido, um dos principais problemas da dieta low carb é que ela não é sustentável no médio prazo, de forma que após semanas ou meses de tentativas, a pessoa desanima e retoma os hábitos antigos.

O mais adequado quando se fala em perda de peso é uma reeducação alimentar que não remove nenhum grupo alimentar, mas busca instruir como fazer escolhas mais conscientes e saudáveis no dia a dia.

Aspectos importantes da reeducação alimentar não incluem apenas o que se come, mas horários das refeições, mastigação, refeições livres, ingestão de água e ponderação quanto ao estado geral de saúde.

Por exemplo, para pessoas com compulsão alimentar, as estratégias focadas em restrição de alimentos são muito prejudiciais e frequentemente resultam em frustração e excessos que provocam o aumento de peso.

Além da alimentação, o emagrecimento está relacionado com um conjunto de boas práticas que incluem praticar exercícios regularmente, ter boas noites de sono e reduzir o estresse.

Portanto, a dieta low carb pode ser bastante prejudicial, especialmente quando não acompanhada por um especialista, como o nutricionista e nutrólogo.

 

Deixe uma Resposta